um conto de natal
Mercado Editorial

Blogmas #1 – Um conto de Natal

Este post faz parte do Blogmas, um projeto muito interessante criado pela Patrícia Silva Néto. Patrícia inspirou-se no Vlogmas (uma combinação de vlog + Christmas), iniciativa de vários youtubers que, durante os 25 primeiros dias de dezembro, postam todos os dias vídeos espalhando o espírito de Natal. O Blogmas segue o mesmo propósito aplicado aos blogs (blog + Christmas): 25 dias de postagens com temas de Natal. Quem quiser conhecer mais é só ir na página do projeto.

blogmas

 

Claro que postar todos os dias é para os fortes, como Patrícia e outras meninas. O Conexão Autor está participando do projeto mas as postagens não serão diárias. Aliás, o Blogmas começou no dia 01 mas essa é o meu primeiro post. E, aproveitando uma das sugestões do projeto, de falar de tradições natalinas, vou trazer hoje uma tradição dentro da temática do Conexão Autor: Um conto de Natal. Aqui no Brasil a tradição de ler e/ou encenar esse conto não é assim tão comum, mas lá fora não há Natal sem A Christmas Carol, no original em inglês.

 

A tradição de Um conto de Natal

Um dos maiores clássicos natalinos de todos os tempos, Um conto de Natal foi escrito por Charles Dickens em um mês para pagar dívidas e publicado em 1843, com ilustrações de John Leech. O personagem principal é Ebenezer Scrooge, um homem avarento que detesta o Natal. Scrooge tem um funcionário, Bob Cratchit, que tem quatro filhos e que, mesmo sendo pobre, é muito feliz.

 

A história de Um conto de Natal começa com Scrooge recebendo a visita do seu ex-sócio Jacob Marley na véspera de Natal. Marley morreu há sete anos naquele mesmo dia e diz para Scrooge que não consegue descansar em paz porque não foi bom em vida, mas que o sócio ainda tem chance de se redimir. Para isso, três fantasmas o visitarão: o do Natal passado, o do Natal presente e o do Natal futuro.

LEIA  Salão FNLIJ: não faltam motivos para ir

 

Um conto de Natal, de Charles Dickens

 

O primeiro deles é o fantasma do Natal passado, que vem na forma de um ser com uma luz que emana de sua cabeça e um apagador de velas debaixo do braço. Ele leva Scrooge de volta no tempo, para a sua adolescência, quando ainda amava o Natal. Triste, Scrooge enfia o chapéu na cabeça do espírito, ocultando a sua luz e mandando-o embora.

 

O segundo é o fantasma do Natal presente, um gigante risonho com uma coroa de azevinho e uma tocha na mão. Ele vai mostrando a Scrooge várias celebrações de Natal, inclusive a de seu funcionário que, apesar de humilde, mostra uma família muito feliz. O tercerio é o fantasma do Natal futuro, uma figura alta em um traje negro que oculta o seu rosto. Ele mostra que Scrooge terá uma morte solitária, sem amigos. E o que acontecerá depois que o terceiro fantasma vai embora?

 

As várias versões de Um conto de Natal

A história original de Charles Dickens se tornou um ícone do Natal e foi adaptada para vários universos diferente, o que ajudou a popularizá-la ainda mais. Uma das versões mais conhecidas talvez seja a adaptação que a Disney fez para Um conto de Natal e trouxe Tio Patinhas no papel do avarento Scrooge, o que lhe caiu muito bem. O curta-metragem de 1983 recebeu o nome de O Natal do Mickey Mouse (Mickey’s Christmas Carol, no original). Mickey interpretava o funcionário de Scrooge, Bob Cratchit, e Pateta, o falecido sócio Marley. Nesta versão, o fantasma do Natal passado é o Grilo Falante, o do Natal presente é Willi, o Gigante, e o do Natal futuro é o Bafo de Onça.

 

Um conto de natal do Michey
O Natal do Mickey Mouse via

 

Em 1992, foi lançado o filme O conto de Natal dos Muppets (The Muppet Christmas Carol, no original). Esse foi o quarto filme dos Muppets e o primeiro após a morte de seu criador, Jim Henson. Na história, Scrooge não é interpretado por um muppet, mas pelo ator Michael Caine. Já os demais personagens foram Caco, o Sapo, no papel de Bob Cratchit, e o Urso Fozzie como Fozziwig (no original Fezziwig).

LEIA  6+ coisas que aprendi na Flip

 

um conto de natal dos muppets
O conto de Natal dos Muppets via

 

A Disney voltou com uma nova versão de Um conto de Natal em 2009, Disney’s Christmas Carol, que no Brasil se chamou Os fantasmas de Scrooge e foi estrelado por Jim Carrey. O filme é uma mistura de fantasia com comédia romântica usando animação digital 3D e captura de movimento Carrey, além de interpretar Scrooge, também faz vários outros personagens, entre eles os três fantasmas do Natal.

 

Os fantasmas de scrooge - um conto de natal
Os fantasmas de Scrooge via

 

E nem mesmo Doctor Who ficou de fora de Um conto de Natal. No dia 25 de dezembro de 2010, a BBC levou ao ar um especial da série britância que recebeu o nome do conto original – A Christmas Carol. E o que falar, então, dos quadrinhos? A DC Comics lançou a graphic novel Batman: Noel, em 2011, que mostra o Cavaleiro das Trevas como um amargurado Scrooge. Mulher-gato era o fantasma do Natal passado, Superman, o do presente, e Coringa, o do futuro.

 

um conto de natal de doctor who
Um conto de Natal de Doctor Who via

 

Como podemos ver, Um conto de Natal é uma história passível de ser adaptada para os mais diversos universos e que permite inúmeras interpretações. Isso mostra o poder de uma história bem construída. Você conhece alguma outra versão do clássico natalino? Deixe nos comentários.

 

Se você ficou curioso para ler Um conto de Natal, de Charles Dickens, você encontra o livro aqui.

 

link patrocinado

Escritora, crítica literária, jornalista e professora universitária. Trabalha com criação de textos e preparação de originais. Desenvolve cursos e palestras na área de Criação Literária e Escrita Criativa.

Ronize Aline

Escritora, crítica literária, jornalista e professora universitária. Trabalha com criação de textos e preparação de originais. Desenvolve cursos e palestras na área de Criação Literária e Escrita Criativa.

Leia também...

8 Comments

  1. O Natal, para mim, é simplesmente a melhor época do ano e adoro ler livros e ver filmes relacionados a ele hehe.
    Adorei este post e com certeza irei adicionar à minha listinha de livros, se não conseguir ler este ano, deixarei para ano que vem, pois tudo fica mais mágico quando é pertinho da data 🙂
    Beijinhos :*

  2. Eu tenho um livro pocket de um conto de natal que há muuuuuito tempo li. Ele está guardado junto com outros livros mais antigos e abandonados em uma caixa, vou resgatá-lo para ler e vou vir aqui falar quem é o autor dessa obra!

    Belo post com tema natalino, entrando no clima, hein!?
    Um beijão, Rô!

    1. Ah! Conta pra gente sobre esse conto de Natal, sim, Bia.
      Eu adoro essa época! Especialmente enfeitar a casa e fazer biscoitos.

      Beijocas

  3. Eu A-M-O esse livro do Dickens. AMO. Das adaptações que você mostrou, a única que ainda não assisti foi a de Doctor Who HEHEHEHEHHEHE

    beijos!

    1. Então você PRECISA assistir, Patty…rs…
      Bem, eu sou suspeita porque sou whovian, mas esse especial é D+!.

      Beijocas

  4. Eu tenho esse livro e ele deixa aquele gosto de coisa simples e até obvia mas que não damos atenção ou importância sabe? É algo que tecnicamente já devemos saber mas que vale muito a pena ler e manter isso em mente!

    É um livro gostoso e muito bacana ~~

    1. Pois é, Maurício. Às vezes precisamos que nos lembrem daquilo que já sabemos. Só falta colocar em prática…
      E é um livro que mexe muito com a gente.

      Beijos

  5. Oi Roni, adoraria ler a história original do Dickens, imagino que seja super interessante. Uma obra com tantas adaptações só pode ter muita coisa boa para oferecer!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *