fbpx

Follow my blog with Bloglovin

Aproveitando que hoje é Dia dos Mortos (ou Finados, como costumamos chamar no Brasil), vou falar sobre um gênero que há tempos desperta o interesse de uma legião de fãs incondicionais: as histórias de zumbis. Há desde as que já se tornaram clássicas, como Guerra Mundial Z (de Max Brooks) e O cemitério (de Stephen King), até as atuais edições de clássicos revisitados sob a temática zumbi, como Orgulho, Preconceito e Zumbis (de Seth Gramaha-Smith a partir de Orgulho e Preconceito, de Jane Austen) e Branca dos Mortos e os 7 zumbis (de Abu Fobiya a partir do clássico conto de fadas Branca de Neve e os sete anões).

Mas como são criadas boas histórias de zumbis? Que elementos são essenciais à narrativas? Quais são os clichês do gênero? Se você sempre teve vontade de escrever uma, aproveite a data de hoje e dê o pontapé inicial no seu livro. Você pode querer alguma orientação sobre como estruturar uma história, então dê uma olhada nesse post. Abaixo, algumas dicas essenciais para quem quer escrever histórias de zumbis.

zumbis

1. Leia histórias de zumbis
A primeira dica parece meio óbvia. Mas, pode acreditar, há quem queria escrever para aproveitar a onda de zumbis na literatura, TV e cinema sem nem ao menos se interessar em ler uma. Você pode pensar que histórias de zumbis são todas iguais, mas pode se surpreender com as camadas que existem por baixo dessa temática. Aprenda a ver além e perceber as diferentes nuances que o gênero oferece. A história pode ser uma crítica política, uma sátira social ou de fanáticos religiosos, entre outras opções.

2. Escreva uma história sobre pessoas com zumbis, não sobre zumbis com pessoas
O leitor tem que se importar com os personagens não-zumbis da sua história, não com os zumbis. Quanto mais ele se identificar com as pessoas sobre as quais está lendo, mais ele compartilhará de seus medos e se assustará quando estiverem em perigo. Cuide de criar personagens memoráveis, e não apenas pessoas tentando fugir de zumbis. E escolha cuidadosamente os personagens que irão morrer e os que irão sobreviver, para não frustrar o leitor e jogar por terra o seu trabalho anterior.

3. Crie zumbis interessantes
Zumbis são personagens limitados, eu sei, e bastante repetitivos. O que fazem repetidas vezes é atacar as pessoas até conseguir acabar com elas, e isso pode se tornar bem chato depois da terceira ou quarta vez. Então como manter o interesse nas histórias de zumbis se elas forem apenas um amontoado de ataques? Transforme-os em personagens também, e não apenas em uma massa disforme, sem rostos ou características próprias. Que tal um zumbi enfermeira? Um zumbi bombeiro? Um zumbi palhaço? Explore diferenças que façam seus zumbis serem exatamente o que são: seres humanos com características próprias que voltaram da morte. E por que não dar nomes a alguns deles?

LEIA  Prêmio de Literatura: publicação e 20 mil reais para o vencedor

4. Escreva sobre seus medos
Histórias de zumbis, assim como outras histórias de terror, são sobre morte, decadência, moléstia e, principamente, medo. Elas nos fazem pensar sobre coisas que normalmente procuramos evitar: como são nossos corpos por dentro, o que acontecerá depois que morrermos ou se houver uma praga que nos leve todos os nossos entes queridos? E se a raça humana depender apenas de nós para que não se acabe de vez? Histórias de zumbis nos lembram que, no final de tudo, somos apenas carne. Quão apavorante isso pode ser? Não se esqueça, histórias de zumbis têm de causar medo, pavor, pânico.

5. Não se preocupe em explicar tudo
Algumas narrativas apresentam uma explicação para o apocalipse ter acontecido. Mas isso não é imprescindível nas histórias de zumbis. Como tudo acontece muito rápido, dificilmente as autoridades têm tempo de investigar os motivos. E também não se esqueça que, provavelmente, a internet e outros meios de comunicação já saíram do ar. Então, mesmo que chegue-se a uma explicação, dificilmente a grande população tomará conhecimento disso. Se for essencial para a sua história, traga à tona as causas do apocalipse zumbi. No entanto, deixar isso por conta da imaginação do leitor pode ser mais assustador do que dizer que tudo começou com a disseminação do vírux X ou Y.

E você, o que mais gosta nas histórias de zumbis?

Follow my blog with Bloglovin

Histórias de zumbis: por onde começar a escrever uma

Escritora, crítica literária, jornalista e professora universitária. Trabalha com criação de textos e preparação de originais. Desenvolve cursos e palestras na área de Criação Literária e Escrita Criativa.

LEIA  20 regras para escrever um romance policial
Classificado como:                

2 ideias sobre “Histórias de zumbis: por onde começar a escrever uma

  • 19/02/2016 em 15:36
    Permalink

    Uau!
    Eu amei suas dicas, foram muito interessantes para mim.
    Depois de ler tudo isso, afirmo que minha visão sobre livros de apocalipse zumbi, realmente mudou. Parece ter deixado minha mente mais aberta a novas maneiras de escrever e como não fazer que os zumbis se tornem apenas “míseras criaturas vagantes a procura de carne.”

    Obrigada mesmo, moça!
    Eu estou pesquisando sobre os errantes – zumbis – porque quero iniciar uma história nesta categoria, e pelo visto é bem mais simples do que parece. Espero algum dia poder lhe agradecer pessoalmente pelas maravilhosas dicas, caso meu livro ganhe a oportunidade de crescer e ser reconhecido.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recomendado
Amanhã, 31 de outubro, é dia de Halloween, uma data…
error: