mercado infantojuvenil + editoras
Mercado Editorial

Mercado de livros infantojuvenis + lista de editoras

mercado infantojuvenil + editoras

Sendo autora com livros infantis publicados, costumo ser abordada a respeito de dúvidas relacionadas ao mercado de livros infantojuvenis e às editoras que atuam na área. Por achar que essas são questões que interessam a muitas outras pessoas, fiz este post trazendo algumas dicas e, ao final, apresento uma breve lista de editoras que publicam livros do gênero.

Os autores infantojuvenis e as editoras

Não confunda ficção com paradidáticos: algumas editoras, ao receberem originais infantojuvenis para avaliação, são muito rígidas em relação a isso. Há uma grande diferença entre livros de ficção, cujo foco está na história criada com o propósito de divertir e proporcionar bons momentos de leitura, e os paradidáticos, que auxiliam no processo de aprendizagem. Há autores que acreditam que todo livro infantil precisa trazer em si uma lição, algo a ser aprendido, e esquecem de construir uma bela história, que envolva as crianças e desperte nelas o prazer da leitura.

Autor de texto não deve se preocupar com ilustrações: uma das dúvidas que os escritores têm em relação ao envio de originais para editoras é se devem anexar ilustrações ao seu texto. Alguns chegam a contratar um profissional para submeter o livro já ilustrado.  Essa não é uma atitude desejável. Há editoras que, inclusive, mencionam em seu site que o original deve ser enviado apenas com o texto. Isso porque elas já têm um núcleo de ilustradores com os quais costumam trabalhar regularmente, e a quem são encomendados os projetos gráficos e as ilustrações. Toda a parte de produção cabe à editora, que pode ou não consultar o autor do texto à medida que o processo avança. Por isso, na hora de enviar seu original, nada de  mandar ilustrações junto, pois vai ser dinheiro jogado fora.

Conheça o perfil das editoras: nem sempre mais é melhor. Enviar originais indiscriminadamente, sem verificar se o seu texto tem o estilo buscado pela editora, não aumenta as chances de vê-lo publicado. Procure conhecer o perfil das editoras para identificar se o seu livro se encaixa na linha editorial – e também se estão abertas ao recebimento de originais. Muitas deixam claro em seus sites essa situação. E não se esqueça de verificar a forma pela qual a editora recebe o material, se por e-mail ou pelo correio – neste caso, podendo ser em formato impresso ou mídia digital.

LEIA  3 coisas a saber antes de escrever uma história de terror

Prepare-se para visitar muitas escolas: na literatura infantojuvenil o contato entre escritor e leitor é ainda mais intenso. Fazem parte do processo pós-lançamento as visitas às escolas e feiras literárias estudantis, para conversar com os alunos sobre o livro, contar um pouco da história ou trocar ideias sobre literatura. A criança e o jovem valorizam esse contato e estabelecem um vínculo mais forte com o livro e a própria literatura quando personificados na figura do autor. Essa é uma etapa fundamental do trabalho do escritor infantojuvenil que não pode ser menosprezada.

O grande comprador das obras infantojuvenis é o governo: muitos até mesmo ignoram que exista tal procedimento, mas quem vive nesse mercado editorial fica de olho na abertura dos editais. São vários os programas de compra de livros desenvolvidos pelos governos municipal, estadual e federal – e o volume de exemplares comprados pode superar, e muito, os vendidos nas livrarias. Por isso a imensa expectativa de autores e editores para submeter obras que atendam às exigências de cada programa. Uma vez lançado o edital, cabe à editora inscrever as obras de seus autores que melhor se adequem a cada faixa etária. Meu primeiro livro infantil, O Dono da Lua, foi selecionado pelo governo do Estado de São Paulo para o programa Livro na Sala de Aula 2013 e ser distribuído para todas as escolas de ensino fundamental do estado, e também pela Prefeitura de Contagem (MG) para o Kit Escolar do mesmo ano. O  segundo, Anete, nariz de chiclete, foi selecionado pela Prefeitura de Belo Horizonte para fazer parte do Kit Escolar 2015 e ser distribuído nas escolas públicas do município.

Breve lista de editoras

Essa lista não pretende, nem poderia, ser uma lista completa de todas as editoras que trabalham com livros infantojuvenis. Para atender a inúmeras solicitações de nomes de editoras, escolhi como critério as que participaram do último Salão FNLIJ (Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil) do Livro para Crianças e Jovens, o mais importante evento do gênero no país. Isso não significa que editoras que não estejam aqui não desempenhem importante papel no mercado, apenas que, pela impossibilidade de torná-la conclusiva, escolhi um critério que considerei relevante para construir esta lista.

LEIA  Conheça os personagens básicos do romance

É importante lembrar que nem todas as editoras recebem originais todo o tempo. Antes de enviar, procure no site das editoras essa informação e, também, qual o procedimento de envio.

Ática
Autêntica
Ave Maria
Berlendis
Bertrand Brasil
Biruta
Brinque-Book
Callis
Cia das Letrinhas
Ciranda Cultural
Cortez
Cosac Naify
DCL
Dedo de Prosa
Dimensão
DSOP
Edelbra
Edições SM
Ediouro
Editora 34
Editora do Brasil
Editora Jovem
Escala Educacional
Escrita Fina
FTD
Geração Editorial
Girassol
Global
Globo
Hedra
Intrínseca
Jorge Zahar
José Olimpyo
Jujuba
L&PM
La Fonte
Leya
Manati
Martins Fontes
Mazza
Melhoramentos
Moderna
Mundo-Mirim
Nova Fronteira
ÔZé Editora
Pallas
Panda Books
Paulinas
Paulus
Paz e Terra
Peirópolis
Pinakotheke
Planeta do Brasil
Positivo
Projeto
Pulo do Gato
Record
Rocco
Rovelle
Salamandra
Saraiva
Scipione
Sextante
Verus
Zit

Escritora, crítica literária, jornalista e professora universitária. Trabalha com criação de textos e preparação de originais. Desenvolve cursos e palestras na área de Criação Literária e Escrita Criativa.

Ronize Aline

Escritora, crítica literária, jornalista e professora universitária. Trabalha com criação de textos e preparação de originais. Desenvolve cursos e palestras na área de Criação Literária e Escrita Criativa.

Leia também...

2 Comments

  1. […] Cabe identificá-las e fugir delas. A verdade é que quem está de fora pouco conhece desse mercado e, seja qual for o motivo, acaba ajudando a reforçar certos mitos sobre a profissão. Alguns deles […]

  2. Muito obrigado sou escritor de livros infanto juvenis e gostaria muito de publicá los por uma grande editora! seu post irá me ajudar mundo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *