dia das crianças
Agenda

Dia das crianças: dê mundos imaginários de presente

Aproxima-se mais um Dia das Crianças e muitos pais ainda estão em busca do presente perfeito. É claro que o presente perfeito tem prazo de validade. Passado um tempo, que pode variar de semanas a anos, ele pode ter um outro destino: ser doado a outra criança, vendido a um brechó ou simplesmente jogado no lixo. Então por que não dar de presente algo que possa ser curtido por toda a família e nunca perca o prazo de validade? Dê mundos imaginários de presente no Dia das Crianças – e eles podem ser encontrados em forma de livros.

dia das crianças

10 sugestões para o Dia das Crianças

Para lhe ajudar nessa difícil tarefa, já que são muitos os livros infantis de qualidade lançados recentemente, o blog da Ronize Aline traz uma lista com sugestões para o presente do Dia das Crianças:

20 disfarces para um homenzinho narigudo, de Marcelo Martinez (Nova Fronteira)

Um dinossauro? Um avião? Uma bruxa? Um bigodão? De quantas formas diferentes um homenzinho narigudo pode se disfarçar? Com poucos traços e muita imaginação, uma coisa vira outra, é só começar.

Anete, nariz de chiclete, de Ronize Aline com ilustrações de Bruna Assis Brasil (Escrita Fina Edições)

Anete, uma ruivinha para lá de simpática, tem um talento especial: faz bolas de chiclete como ninguém. O problema é que essa habilidade a coloca em enrascadas. Porque, quando as bolas ficam muito grandes, estouram e deixam o seu nariz todo melado. A garotada na escola faz troça: Anete tem nariz de chiclete! Mas uma aventura incrível a espera. E tudo graças à sua habilidade em fazer bolas e ao seu nariz de chiclete.

A poesia da primeira vez, de Stella Maris Resende com ilustrações de Laurent Cardon (Globinho)

Movida pela poesia da primeira vez, Pequenininha fica imóvel sempre que ouve uma palavra nova. Não demora muito para que essa mania da garota se transforme em um jeito diferente de encarar as descobertas da vida. Neste livro, Stella Maris Resende retrata o olhar poético de uma menina como fonte de eterno maravilhamento pelo mundo.

Carteiro tem nome?, de Anna Claudia Ramos com ilustrações de Anielizabeth (Globinho)

Carteiro tem nome? E será que você sabe o nome do carteiro que entrega correspondência na sua casa? Ou você nunca pensou nisso? Descubra nesta história o que acontece quando Caio e Bia se deparam com carteiros, despedidas, cartas, bilhetes e telegramas. Você vai se surpreender.

LEIA  [Resenha] Meias quentinhas para aquecer o coração

Deu bicho nas cantigas, de Deborah Barros com ilustrações de Clara Gavilan (Memória Visual)

Este livro nasceu em uma sala de aula. Cenário onde a fonoaudióloga e educadora Deborah Barros realiza anualmente o feito de ensinar aos seus alunos da educação infantil do Colégio Cruzeiro tudo sobre os animais. Na busca por um aprendizado mais lúdico e divertido, Deborah teve a ideia de musicar o conteúdo das pesquisas dos pequenos. Para tanto, utilizou melodias das cantigas infantis que eles sabiam de cor! O sucesso foi tão grande, que as cantigas ultrapassaram os muros da escola, ganharam o mundo e agora estão nas páginas do livro Deu bicho nas cantigas.

Futuros Heróis, de Estevão Ribeiro com desenhos de Vitor Cafaggi, Paula Markiewicz, Paulo Crumbim, Cristina Eiko, Caio Yo, Jânio Garcia, Leo Finocchi, Raphael Salimena, Emerson Lopes e Mário César (Desiderata)

Neste conjunto de histórias contadas apenas por imagens, você encontra as aventuras de crianças que poderiam ser qualquer um de nós. Elas passam por maus bocados em casa ou na escola, mas decidem deixar a tristeza de lado e usar suas habilidades para ajudar os amigos, em atos de extrema generosidade e coragem. Inspirado nos super-heróis clássicos dos quadrinhos norte-americanos, Estevão Ribeiro (criador de Os passarinhos) reuniu um time campeão de artistas para ilustrar as peripécias desses futuros heróis.

O livro do pai chato, de Raphael Vidal com ilustrações de Paula Kranz (Memória Visual)

Quem nunca se pegou pensando: “como meu pai é chato!” Afinal, qual pai nunca fez uma chatice? E qual filho nunca chateou um pai? Teimosia, falta de atenção e “rabugices” em geral acometem os dois lados! No final das contas, pais e filhos se alternaram muitas vezes no papel do “Chatonildo da Casa”. Foi olhando com bom humor para relação entre pai e filhos, que Raphael Vidal, escritor, editor de livros, criador da Casa Porto, brincante desde moleque e pai de Jorge e Francisco –  os responsáveis por seu sorriso todos os dias – decidiu escrever O livro do pai chato. Uma delicada homenagem ilustrada pela talentosa Paula Kranz para todos os pais e filhos, adoravelmente chatos!

O museu que Caio inventou, de Simone Bibian com ilustrações de Paula Kranz (Edições Pinakotheke)

LEIA  Manual literário para amar os homens (ou não)

O museu que o Caio inventou – quarto livro infantil da premiada escritora, psicopedagoga e dramaturga, Simone Bibian – utiliza com sensibilidade a linguagem poética para falar sobre memória e encantamento. Lindamente ilustrado pela publicitária Paula Kranz, esta obra é um convite para pessoas de todas as idades se sentirem livres para se divertir e criar, porque não, o seu próprio museu, seja ele do que for! Quem nunca colecionou alguma coisa? Não há quem não se encante diante de uma bem cuidada coleção. Seja de livros, quadros ou até pedras! Caio era um menino como tantos outros, que caminhava prestando atenção nas borboletas, nuvens… Até tropeçar em uma pedra! Afinal, sempre há pedras no caminho. Mas aquela, além de um joelho esfolado, lhe deu um olhar especial! Ele percebeu que sempre há pedras a nossa volta, mas elas podem ser cheias de graça e até colecionadas!

Pindorama de Sucupira, de Nara Vidal com ilustrações de Bruna Assis Brasil (Penninha Edições)

Sucupira é uma árvore nativa do Brasil que testemunhou a chegada dos portugueses e também é o nome da protagonista de uma outra história do Descobrimento. Dona de olhar perspicaz, a indiazinha Sucupira apresenta-se aos leitores como testemunha ocular daquele marcante fato histórico. Leia e tome parte da História revisada por quem a protagonizou e até hoje tem poucas oportunidades de contá-la a seu modo: nossos índios, representados pela menina Sucupira.

Robóticos, de Alexandre de Castro Gomes com ilustrações de Cris Alhadeff (Editora Rovelle)

Um mundo controlado por robôs, em que os humanos delegaram às máquinas todas as tarefas do dia a dia. Um casal que deixou de lado a própria vida e se acomodou às facilidades que as tecnologias proporcionam. Um desejo de sentir a vida pulsar de novo, de tornar-se útil e encontrar motivos para seguir em frente. Um final surpreendente.

 

 

Escritora, crítica literária, jornalista e professora universitária. Trabalha com criação de textos e preparação de originais. Desenvolve cursos e palestras na área de Criação Literária e Escrita Criativa.

Ronize Aline

Escritora, crítica literária, jornalista e professora universitária. Trabalha com criação de textos e preparação de originais. Desenvolve cursos e palestras na área de Criação Literária e Escrita Criativa.

Leia também...

1 Comment

  1. Quero parabenizá-la por seu blog, suas postagens e sua forma brilhante de fomentar novos escritores, esclarecendo-os das nuances da escrita bem como do mercado editorial. Desejo-lhe saúde, felicidades e muitas vitórias em sua carreira.
    Robert Thomaz
    https://www.youtube.com/user/estacaodapoesia/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *