personagem de Robin Williams
Criação Literária

O que os personagens de Robin Williams nos ensinam

O cinema perdeu recentemente um de seus grandes atores, o norte-americano Robin Williams. Detentor de papéis memoráveis, ele foi capaz de encarnar personagens que se tornaram marcantes no mundo inteiro. Drama ou uma comédia, Robin Williams foi capaz de emprestar-lhes  características nas quais era possível ao ser humano se reconhecer e se identificar. Que tal dar uma olhada em alguns personagens do ator que se tornaram célebres e que podem nos inspirar na hora de construirmos nossa própria obra?

personagem de Robin Williams

6 grandes personagens de Robin Williams

John Keating, de Sociedade dos Poetas Mortos (1989)

Um professor de métodos pouco convencionais, Keating é o tipo de personagem inspirador – e não apenas para seus alunos. Robin William ficou eternamente marcado por esse papel, que é um exemplo de como tornar um protagonista inesquecível: faça-o sair do lugar comum, acreditar nas pessoas ao seu redor, estimulá-las, ajudá-las a vencer. Torne-o um exemplo de quem ousou acreditar, não só para os demais personagens, mas principalmente para os leitores.

Adrian Cronauer, de Bom dia, Vietnã (1987)

Nesse misto de comédia e drama, Cronauer é recrutado para fazer o programa de rádio das Forças Armadas norte-americanas no Vietnã. Em um ambiente de guerra, o personagem conseguiu transformar uma atividade que poderia ter pouca importância em uma oportunidade de levar algo de bom para os soldados. Durante o tempo em que durava o programa, Robin Williams conseguia atingir aqueles combatentes de forma muito mais intensa do que qualquer discurso e aliviar-lhes, mesmo que por alguns instantes, o pesado fardo que carregavam. Faça do seu personagem um transformador. Faça-o pegar algo simples, pequeno, e transformar em algo inesperado e tocante.

LEIA  9 dicas para escrever um romance de fantasia

Daniel Hillard/Mrs. Doubtfire, de Uma babá quase perfeita (1993)

Impossibilitado de conviver com os filhos, um pai se traveste de babá para poder estar junto deles. Essa é a trama da comédia Uma babá quase perfeita, em que Robin Williams fez todos se apaixonarem por Mrs. Doubtfire. Perseguir seus objetivos, não importa o que precise ser feito para chegar até eles: é essa a mensagem por trás do comportamento do personagem. Por mais surreal que possa parecer, há sempre uma possibilidade de dar certo.

Hunter “Patch” Adams, de Patch Adams – O amor é contagioso (1998)

O médico que tratava seus pacientes com muito mais do que medicina tornou-se uma das marcas registradas do ator Robin Williams. Ousar, enxergar o mundo de outra forma, fazer o inesperado, até mesmo chocar as pessoas: Patch Adams tinha muito mais a oferecer àquelas pessoas. Seu bom humor e sua ousadia fizeram dele um personagem inspirador para médicos,  pacientes, espectadores e escritores.

Sean Maguire, de Gênio Indomável (1997)

Enternecedor, o filme mostra a relação do psicólogo Sean Maguire, personagem de Robin Williams, com Will Hunting, personagem de Matt Damon. Will é um gênio rebelde da matemática, famoso por se meter em encrencas. Obrigado a fazer terapia, acaba se identificando com Sean, que é o único capaz de entendê-lo e lidar com sua genialidade explosiva. Coloque seu personagem frente a um outro, desafiador, que ele não consegue controlar, e faça-o enfrentar seus próprios conflitos a partir dessa relação.

Andrew Martin, de O homem bicenternário (1999)

Baseado em uma história de Isaac Asimov, o filme traz Robin Williams no papel de um robô que busca sua liberdade e quer tornar-se humano. A relação homem-máquina costuma render ótimos argumentos, principalmente quando traz à tona questões que a própria Humanidade enfrenta, como amor e imortalidade. Crie um personagem com desejos incomuns à sua natureza, que busca fugir ao que é esperado, que não se conforma com o que tem. Faça-o querer mais, como Andrew.

LEIA  Começar a escrever: eis o que importa

Conte pra nós qual o seu personagem favorito de Robin Williams e por quê.

Escritora, crítica literária, jornalista e professora universitária. Trabalha com criação de textos e preparação de originais. Desenvolve cursos e palestras na área de Criação Literária e Escrita Criativa.

Ronize Aline

Escritora, crítica literária, jornalista e professora universitária. Trabalha com criação de textos e preparação de originais. Desenvolve cursos e palestras na área de Criação Literária e Escrita Criativa.

Leia também...

1 Comment

  1. Sou absolutamente fâ desse sensacional ator. Além desses filmes que você citou, tem outros dois que me marcaram muito: “Amor além da Vida” e o “Violação de Privacidade”. O primeiro que aborda o tema da vida após a morte e os dramas familiares advindos com a perda e desestruturação dos laços . O segundo traz um cenário de ficção, envolvendo recursos tecnológicos e o reflexo disso na vida das pessoas. Muito bom!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *