como editar um texto
Criação Literária

Como editar um texto (antes de enviá-lo à editora)

como editar um texto

Acredite: os livros que você lê não foram escritos exatamente da forma como os conhece. A primeira versão costuma ser bem diferente da versão final e, entre uma e outra, há um longo caminho. Esse processo de transformação de um texto bruto em um texto pronto para ser lido chama-se edição e costuma ter várias etapas. Já no processo de publicação essa tarefa é realizada pelo editor, que sugere alterações no texto recebido. Mas, antes mesmo de enviá-lo para uma editora, é o próprio autor quem edita o texto para deixá-lo mais “redondo”. E como isso é feito? Descubra neste artigo como editar um texto antes de submetê-lo às editoras.

Escrever significa, na verdade, reescrever. Não raro escritores colecionam versões de um mesmo livro, cada uma apresentando substanciais mudanças de texto e, por que não, de história. Um livro não está pronto até ter sido reescrito várias vezes. Isso mata de vez a ideia de que livros “chegam” prontos a seus autores, como se a eles coubesse apenas colocar a história no papel, sem mais esforço. Nada poderia estar mais longe da verdade, já que escrever é um esforço constante de aperfeiçoar o texto em questão.

Passos para editar um texto

Uma história pode ser contada de várias maneiras, então lapidar um texto significa tornar sua escrita mais envolvente, mais afinada com o estilo que se pretende impingir. Editar um texto requer prática e um certo olhar aguçado para perceber o que pode ser deixado como está e o que precisa ser mudado. Ainda mais quando estamos falando de nosso próprio texto, já que costumamos ser incrivelmente super-protetores com o que escrevemos. Mas prática é algo que se adquire, então separei algumas dica para ajudar-lhe a começar o processo.

LEIA  Quer escrever para criança?

1. Deixe o texto descansar

Assim que terminar a primeira versão, deixe o texto descansar por um tempo. Contos necessitam de menos tempo do que romances, por exemplo. Durante esse tempo, que pode variar de dois dias a um mês, em muitos casos, tente não pensar no texto para, quando for lê-lo novamente, o faça com um olhar fresco, não viciado.

2. Leia o livro inteiro

Antes de começar a editar um texto, leia-o por inteiro sem mexer em nada. Dessa forma você terá uma visão completa da obra. Coloque-se no papel do leitor e perceba o que está funcionando e o que está fora de lugar.

3. Faça ao menos três versões

Três é um bom número quando pensar em editar um texto. A primeira versão costuma ser chamada de esboço. Em seguida vem o primeiro tratamento, quando são feitas alterações. E o ideal é que haja uma terceira versão, pelo menos, para fazer a revisão final. Se achar necessário faça outras versões até sentir-se confortável com o resultado.

4. Sentenças devem fazer apenas uma coisa por vez

Experimente ler suas sentenças em voz alta. Se começar a perder o fôlego antes do fim é porque elas estão muito longas. Sentenças devem contar uma coisa de cada vez. Pronome + verbo + objeto: esta é a estrutura básica na qual você deve se basear. No caso de sentenças muito longas tente quebrá-las em unidades menores, evitando correr o risco de comprometer o seu texto.

5. Parágrafos devem fazer apenas uma coisa por vez

Ao editar um texto tenham em mente o que é um parágrafo: uma construção de sentenças que, combinadas, expressam uma única ideia. As sentenças devem estar dispostas de forma lógica para que a ideia faça sentido. Um parágrafo curto funciona melhor e torna a leitura mais agradável por isso, quando quiser trazer uma nova ideia, comece um parágrafo novo.

LEIA  Salão da Leitura de Niterói começa dia 31

6. Corte palavras desnecessárias

Mesmo que já tenhamos ouvido isso milhares de vezes, quando se trata de cortar palavras do nosso próprio texto isso pode ser bem complicado. Temos absoluta certeza de que todas as palavras que ali colocamos são estritamente necessárias, mas isso não impede de reconhecermos que a narrativa ficou melhor e mais fluida quando conseguimos aparar os excessos.

7. Refaça a maioria das frases em voz passiva

Há quem tenha predileção pelo uso da voz passiva, mas não se esqueça que em demasia acaba por turvar o texto. “Eu faço coisas” é muito mais interessante para a narrativa do que “As coisas foram feitas por mim”. A ação acaba perdendo a sua força.

 Qual dessas dicas para editar um texto você já costuma utilizar? Tem mais alguma para compartilhar?

Escritora, crítica literária, jornalista e professora universitária. Trabalha com criação de textos e preparação de originais. Desenvolve cursos e palestras na área de Criação Literária e Escrita Criativa.

Ronize Aline

Escritora, crítica literária, jornalista e professora universitária. Trabalha com criação de textos e preparação de originais. Desenvolve cursos e palestras na área de Criação Literária e Escrita Criativa.

Leia também...

10 Comments

  1. Oi, Ronize! Uma dica *que* eu gostaria de dar é: devemos ter cuidado com o excesso de *ques*. É um vício *que* temos na linguagem falada e *que* às vezes, sem perceber, transferimos para o texto escrito. É possível verificar se exageramos nessa ou em outras expressões usando o localizador de palavras do editor de texto.
    Outra coisa importante é ter a ajuda de um leitor crítico. Um texto *que* – depois de MUITAS e MUITAS revisões – eu julgava aproximadamente perfeito, continha muitas, mas muitas palavras *muitas*, e quem percebeu isso foi a pessoa *que* fez a leitura crítica.
    Obrigada pelas dicas! 🙂

    1. Olá, Zulmira.

      Obrigada pela participação. Gostei muito da sua dica, é isso mesmo. Repetição de palavras acaba empobrecendo o texto. E uma leitura crítica ajuda muito a perceber esses pontos fracos.

      Volte sempre ao blog.
      Abraços,
      Ronize Aline

  2. As dicas sugeridas em seu artigo me fez lembrar desses escritores que acreditam em “dom” ou que o “santo baixou”. Deveriam ler, refletir e compreender que a escrita é uma atividade árdua e trabalhosa.

    1. Olá, Ronperlim.

      É isso mesmo. Acreditar no “dom” e não no trabalho é uma forma de diminuir o ofício do escritor.

      Abraços,
      Ronize Aline

  3. Muito útil esse post e muito bem escrito!! Gostei muito!
    Divulguei lá no blog.
    (http://migre.me/kY2bE)

    1. Olá, Suzana.

      Que legal! Já fui lá ver. Obrigada pela divulgação e volte sempre.

      Abraços,
      Ronize Aline

  4. Olá Ronize, tudo bem?

    Suas dicas são bem simples, resumidas e práticas.
    Estou me aventurando na escrita e vejo o quanto é demorado chegar à conclusão de que um texto, por menor que ele seja, esta fechado, finalizado.
    A impressão que dá é que poderemos passar um ano que seja refazendo-o, refazendo-o, refazendo-o, e nunca chegaremos a uma conclusão de qual é o seu final verdadeiro! 🙂

    Abraços e obrigada!

    1. Oi, Lu.

      Sim, escrever é demorado. Na verdade, escrever é reescrever muito, e muito. Mas também é importante saber o momento de parar. O excesso de perfeccionismo pode nos imobilizar. Achar que nunca está bom o bastante faz com que as coisas não caminhem. Encontrar esse equilíbrio é que é o desafio.

      Seja sempre bem-vinda e parabéns pelo seu trabalho.
      Abraços,
      Ronize Aline

  5. Rosane Cavalcanti says:

    Amei as dicas, são muito úteis. Percebi que eu já seguia alguns dos passos que foram ensinados, não sei se, impulsionada pelo instinto criativo ou outra coisa qualquer. Mas, valeu!
    Gostei também da sugestão da Zulmira. Realmente já havia percebido essa coisa da repetição de certas palavras. Tenho me vigiado nisto. Também achei a Zulmira *muito* criativa.
    Abraços.

    1. Obrigada, Rosane.
      Seja sempre bem-vinda a participar.

      Abraços,
      Ronize Aline

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *