o que podemos aprender com a copa do mundo
Criação Literária

O que podemos aprender com a Copa do Mundo

o que podemos aprender com a copa do mundo

 

Hoje começa a terceira rodada da primeira fase da Copa do Mundo 2014 e já é possível tirar algumas lições do que vimos até agora. E não estou falando apenas na área futebolística, mas também no campo literário. O que 22 homens em campo e uma bola rolando têm a nos dizer sobre processo criativo e contação de histórias? Veja abaixo algumas dicas que preparei observando as 32 seleções se enfrentando nos gramados do Brasil.

Dicas da Copa do Mundo para o seu livro

Não são só os amantes por futebol que podem aproveitar o que tem se visto nas partidas desta Copa do Mundo. O modo como as seleções se comportam em campo, os resultados das partidas e os próprios jogadores são ótimas referências para a criação literária. Como os exemplos abaixo:

  • Surpreenda logo no início

Na partida entre Estados Unidos e Gana, a seleção norte-americana surpreendeu os adversários fazendo um gol logo no primeiro minuto da partida. Faça o mesmo com suas histórias: surpreenda o leitor o quanto antes. O ideal é que seja no primeiro capítulo e, se for no primeiro parágrafo, melhor ainda. É preciso despertá-lo para a história e prender sua atenção para que continue acompanhando a narrativa. Uma boa maneira de fazer isso é colocando o personagem principal em alguma situação inesperada, inusitada, estranha. Algo que suscite uma surpresa, um estranhamento ou um questionamento.

  •  Corte, depois corte mais um pouco

Escritores são ciumentos com seu texto. Acham um absurdo quando alguém sugere que cortem algo da sua “história perfeita”, mas tão logo o fazem não raro percebem que a narrativa ficou mais fluida, mais agradável. Escrever é, também, cortar o que se escreveu – mesmo que num primeiro momento possa ser doloroso. A primeira fase da Copa do Mundo é feita de cortes. É preciso eliminar seleções para seguir adiante com o campeonato, mesmo que as eliminações provoquem surpresa, como foi o caso das campeãs mundiais Espanha e Inglaterra. Então, sem dó nem piedade, corte os excessos do texto e observe o resultado.

  • Persista, não desista

Suíça e Equador empatavam em 1 a 1 quando, nos 48 minutos do segundo tempo – último minuto dos acréscimos -, em um rápido contra-ataque, a seleção suíça fez mais um gol e selou o placar em 2 a 1. Em vez de se acomodarem com o empate, os jogadores suíços lutaram até o último minuto e foram recompensados com a vitória. Quando estamos tentando publicar nosso livro a vitória pode parecer distante. A quantidade de recusas por parte das editoras costuma ultrapassar o limite da nossa confiança, e não é difícil desistirmos no meio do caminho achando que nosso original permanecerá assim para sempre. Mas o jogo não termina até o apito final, como aconteceu neste jogo da Copa do Mundo. O meu primeiro livro infantil, O Dono da Lua, foi publicado nove anos após ter sido finalizado. Cada qual tem seu tempo, o importante é perceber o que não está funcionando e mudar a tática para conseguir chegar até o gol.

  • Histórias estão por toda a parte

Não é difícil a realidade nos surpreender com histórias que parecem ficção. E isso vale também para os campos da Copa do Mundo. O jogo entre Alemanha e Gana foi palco de uma dessas histórias que atiçam a curiosidade de leitores e torcedores. Os irmãos Jerome e Kevin-Prince Boateng nasceram na então Berlim Oriental, filhos do mesmo pai ganês e de mães alemãs e já se enfrentaram na Copa do Mundo da África do Sul, há quatro anos. Jeróme joga pela seleção alemã, enquanto Kevin-Prince defende a seleção da nacionalidade paterna desde 2009 (ano em que adotou a cidadania ganesa), depois de jogar nas seleções de base da Alemanha e ser dispensado por questões disciplinares. Durante um jogo pela Taça da Inglaterra, em 2010, Kevin-Prince, jogando pelo Portsmouth, fez uma entrada duríssima em Michael Ballack, capitão da seleção germânica que jogava pelo Chelsea. Ballack acabou ficando de fora da Copa do Mundo de 2010 e Jérome condenou publicamente a atitude do irmão, o que fez com que cortassem relações. É ou não é uma boa trama literária? Por isso, não custa nada prestar atenção ao nosso redor, pois sempre pode haver uma boa história rondando por aí. Até mesmo na Copa do Mundo.

E você já descobriu alguma boa história por aí? Conte pra gente.

Ronize Aline

Escritora, crítica literária, jornalista e professora universitária. Trabalha com criação de textos e preparação de originais. Desenvolve cursos e palestras na área de Criação Literária e Escrita Criativa.

Leia também...