código agatha christie
Criação Literária

O Código Agatha Christie: como criar best-sellers

O Código Agatha Christie: como criar best-sellers.

Não é de hoje que estudiosos tentam entender por que alguns livros transformam-se em best-sellers enquanto outros estão fadados à obscuridade – com um boa parcela deles nesse ínterim. E, como objeto de estudo, escritores dos mais diversos gêneros. Nem mesmo a rainha do crime, Agatha Christie, escapou dessa dissecação literária. Será que a escritora inglesa tinha mesmo uma fórmula que a fez vender mais de quatro bilhões dos seus livros – de um total de mais de 80 títulos -, ficando atrás apenas da Bíblia e de Shakespeare? É o que vamos tentar descobrir neste post.

Os segredos de Agatha Christie

Mesmo quem não gosta do gênero policial já deve ter ouvido falar do detetive Hercule Poirot ou de Miss Marple, a simpática velhinha capaz de elucidar crimes com perspicácia e conhecimento dos habitantes de sua cidade-natal. Esses são dois personagens inesquecíveis de Agatha Christie, que recebeu a alcunha de “rainha do crime” justamente pela capacidade de criar romances policiais memoráveis que se transformaram em fenômenos de venda.

código agatha christie

Tentando descobrir se por trás de tanto sucesso havia algum método infalível que a autora repetia à exaustão, três linguistas ingleses das universidades de Warwick, Birmingham e Londres empreenderam uma pesquisa na estrutura de seus romances. Os especialistas chegaram a levantar a hipótese de que haveria, inclusive, uma fórmula matemática para explicar o fato de que o fascínio exercido por suas obras permanece até hoje. O resultado do estudo, que ficou conhecido como “o código Agatha Christie”, foi divulgado em um documentário da rede de televisão ITV1.

Desvende o Código Agatha Christie

O estudo demonstrou que a escritora usava técnicas literárias que espelhavam as utilizadas por psicólogos e profissionais da hipnose, cujo resultado era provocar efeitos psicoquímicos nos leitores, que sempre retornavam a seus livros em busca de mais do mesmo. Se essa teoria representa o verdadeiro sucesso de Agatha Christie, é difícil dizer. Mas vale a penas observar outros achados interessantes da pesquisa que podem demonstrar um método regular de escrita.

  •  Linguagem com pouca variação: quase sempre Christie usava a palavra “disse” para acompanhar os diálogos
  • Linguagem simples: usava a linguagem do dia a dia, do inglês médio, e não tentava introduzir novas palavras
  • Foco na trama: não desafiava seus leitores com um vocabulário rebuscado para que pudessem se concentrar na trama
  • Associava as soluções dos crimes com os capítulos iniciais da história
  • Se o livro tivesse menos de 55 mil palavras, quase sempre o assassino era uma mulher
  • Se o livro tivesse mais de 71 mil palavras, quase sempre o assassino era um homem
  • Costumava repetir uma ideia básica desenvolvida de forma criativa, de forma inovadora
  • Usou técnicas que até então não eram usadas, mas que passaram a ser exaustivamente copiadas
  • Ninguém estava livre de suspeita
  • Os elementos familiares dão conforto aos leitores
  • Utiliza nuvem de palavras muito próximas
  • Repetição de conceitos chaves em sequência
  • Vocabulário utilizado refere-se aos temas-chaves e conceitos usados em seus livros
  • Introduz ideias complexas de forma simples e rápida
  • Com frequência repete a mesma palavra ao menos três vezes no mesmo parágrafo
  • É capaz de controlar a velocidade com que os leitores irão ler, por exemplo, com muita descrição no início, para uma leitura mais lenta, ao contrário da leitura rápido rumo ao final
  • Trabalha a antecipação, provocando os leitores a tentarem descobrir o culpado
  • Processos linguísticos previsíveis, repetitivos, causando deslumbramento, uma espécie de transe
  • Apenas detalhes suficientes para não distrair o leitor, sem exageros

agatha christie

Agatha Christie começou a escrever por conta de um desafio feito por sua irmã que já era escritora. A irmã disse que ela jamais seria capaz de escrever uma história de detetive. Mais de 80 livros e 50 peças depois, não há dúvidas de que ela superou, e muito, o desafio. Mas será que terá criado uma fórmula própria, um código capaz de revelar o segredo do seu sucesso?

Você acha que fórmulas como a que os especialistas dizem ter identificado na obra de Agatha Christie funcionam de fato?

 

Ronize Aline

Escritora, crítica literária, jornalista e professora universitária. Trabalha com criação de textos e preparação de originais. Desenvolve cursos e palestras na área de Criação Literária e Escrita Criativa.

Leia também...