Clube das Sombras - Sete Homens e Um Destino
Resenhas

[Resenha] Clube das Sombras: os sete cavalheiros do Fantapunk

Clube das Sombras: os sete cavalheiros do Fantapunk.

Não é novidade a estreita relação existente entre cenários de RPG e a criação de obras de literatura fantástica. Muitos autores do gênero passaram horas da sua adolescência e juventude entre tabuleiros e dados envolvidos em aventuras de mundos imaginários – e alguns ainda passam. Marcos Archanjo é um veterano jogador de RPG que criou seu próprio cenário e extrapolou-o para além do universo do jogo. Há 30 anos ele criava o cenário Fantapunk que, aproveitando a data comemorativa juntamente com o jubileu de ouro do autor, foi transportado para uma série de livros de Fantasia a serem lançados em edição digital nos próximos meses. Archanjo e seu cenário é que fazem aniversário, mas quem ganha o presente somos nós. Como um delicioso aperitivo do que ainda virá, o autor disponibilizou um primeiro volume, totalmente gratuito (que pode ser baixado aqui) e cuja resenha apresento abaixo.

Clube das Sombras – Sete Homens e Um Destino

“Devemos supor que alguns personagens de ficção adquirem um tipo de existência independente de suas partituras originais (…) Alguns até mesmo migram de texto para texto, porque a imaginação coletiva, ao longo dos séculos, fez um investimento emocional neles e os transformou em indivíduos ‘flutuantes’.” Assim Umberto Eco apresenta (em Confissões de um jovem romancista) os personagens flutuantes que habitam o imaginário coletivo, tal qual Chapeuzinho Vermelho ou Frankenstein. Clube das Sombras – Sete Homens e Um Destino, de Marcos Archanjo, é uma homenagem a alguns personagens flutuantes da literatura, que são reunidos com muita criatividade em um romance de Fantasia que prima pelo enredo rebuscado e fluxo narrativo surpreendente.

Clube das Sombras - Sete Homens e Um Destino

Além da clara homenagem a personagens inesquecíveis como Conde de Montecristo e Sherlock Holmes, o livro é também uma ode à criação literária. “Se eu vi mais longe foi por estar de pé sobre ombros de gigantes”, declarou Isaac Newton. E Archanjo não decepciona os autores que o precederam ao pegar emprestado seus personagens e dar a eles seu toque pessoal. Enquanto nas obras originais são todos humanos, em Clube das Sombras o autor transporta-os para as diversas raças do universo Fantapunk, cenário de RPG que criou há 30 e que deu origem a essa série de histórias.

LEIA  [blog tour] Top 10 de infantojuvenis no Livro Lab

Archanjo diz que a inspiração para os livros veio de A Liga Extraordinária, história em quadrinhos de Alan Moore e Kevin Oneil que virou filme de aventura e reuniu personagens clássicos da literatura lutando para zelar pela paz na Inglaterra no século 19. Como referência para o enredo, o autor cita o western Sete Homens e Um Destino, que virou subtítulo da obra e, por sua vez, foi inspirado no filme clássico de Akira Kurosawa, Os Sete Samurais. Só isso já é motivo suficiente para atiçar a curiosidade e criar expectativa para história, um mash up envolvente que foge dos maniqueísmos que costumam afundar até mesmo as boas tramas. Não há raças boas nem más no Fantapunk. Há, sim, personagens que são justos, valentes, cruéis, vingativos, independente de serem humanos, elfos ou bandares.

Clube das Sombras faz um resgate do heroísmo e do cavalheirismo. O volume, que apresenta um pouco do cenário e das tramas principais que também estarão nos próximos livros, revela a existência de uma misteriosa ameaça que levou centenas de pessoas à morte no continente de Arcádia, exigindo que um grupo de ilustres e destemidos cavalheiros extraordinários se reunisse no intuito de combatê-la. Só que antes de poderem enfrentar o seu inimigo em comum, eles precisarão conviver lado a lado e trabalhar em equipe, o que para a maioria é visto como uma missão impossível.

Fantapunk

Desfilam à nossa frente cenas minuciosamente construídas e trazidas à realidade pela aptidão do autor em acrescentar descrições cinematográficas ao enredo. A riqueza de detalhes pode ser apreciada tanto na descrição de ambientes quanto na narração de cenas de embate e na apresentação de personagens – sempre utilizando o recurso para presentear o leitor com algo além de uma trama bem construída: um riquíssimo universo autoral comparável aos grandes da literatura fantástica. Neste livro, o autor celebra sua paixão não só pela arte de criar histórias, mas principalmente pela arte de ler e se envolver nas grandes obras da literatura. E que venham os próximos volumes da série!

LEIA  [Resenha] Descubra o segredo do Sr. Brioche

Quem quiser baixa Clube das Sombras – Sete Homens e Um Destino gratuitamente, está disponível aqui.

Em 18 de abril, será lançado O Prisioneiro das Trevas, primeiro volume de O Conde de Montekristo – O Construtor de Sonhos.

Em 18 de maio será lançado A Alegria do Encontro, primeiro volume de Irmão Sol Irmã Lua – Al-Tai-Hai.

Mantenha-se atualizado com os lançamentos acompanhando a casa do Fantapunk.

 

Escritora, crítica literária, jornalista e professora universitária. Trabalha com criação de textos e preparação de originais. Desenvolve cursos e palestras na área de Criação Literária e Escrita Criativa.

Ronize Aline

Escritora, crítica literária, jornalista e professora universitária. Trabalha com criação de textos e preparação de originais. Desenvolve cursos e palestras na área de Criação Literária e Escrita Criativa.

Leia também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *