criar conflito
Criação Literária

7 dicas para criar conflito

Você está escrevendo uma história e, em determinado momento, ela parece estancar. Já não há um fluxo narrativo que prenda a atenção do leitor e os personagens parecem não apresentar mais tão interessantes quanto antes, como se estivesse faltando alguma coisa. E está. O coração de uma história é o conflito, e como tudo o mais gira ao seu redor. Personagens se movimentam através de suas consequências, tentando resolvê-lo ou simplesmente livrar-se dele. Abaixo você verá 7 dicas de como criar conflito em uma narrativa.

Como criar conflito literário

É para manter o interesse do leitor na história que existem os conflitos. Sem eles, haveria apenas um amontoado de informações sobre os personagens. Um conflito é uma interrupção, mesmo que momentânea, na busco do protagonista por seus desejos e sonhos. Um dilema, um problema ou um desafio, qualquer um desses pode dificultar a trajetória do personagem e criar situações envolventes para o leitor. Isso porque ele é capaz de se reconhecer na busca do personagem, se envolver nela e experimentar sensações e emoções similares a ele – e com isso você cria um vínculo estreito entre personagem e leitor.

criar conflito
Foto: Russian Mind

Através do conflito, o personagem muda, cresce e se transforma, tal qual acontece na vida real. A partir dessa experiência é que conhecemos melhor sua personalidade, suas verdadeiras motivações. Os conflitos podem ser internos, quando dizem respeito a alguma limitação ou dificuldade do personagem, ou externos, quando provém de alguma relação do protagonista com outros personagens. Dentro dessa divisão, Diego Schutt apresenta três níveis de conflito: o nível emocional, que acontece na mente do personagem e inclui elementos como inibições, traumas, inseguranças e desejos escondidos; o nível pessoal, que acontece na relação dos personagens e envolve conflitos de interesse, brigas e ressentimentos, e o nível social, que acontece no ambiente onde o personagem vive e engloba ascensão social, diferenças de cultura e perdas materiais, entre outros.

LEIA  5 atitudes essenciais para fazer literatura infantil

Você pode usar apenas um tipo de conflito em sua história, ou então combinar conflitos internos e externos que se complementam, de forma que os personagens tenham personalidade mais bem definida. Conte um pouco sobre o passado do personagem para que o leitor possa entender o conflito interno e, quando surgir o conflito externo, mostre a relação entre os dois níveis e como um deles pode exacerbar o outro. O ideal é que a narrativa não se baseie apenas em um conflito, mas sim em pequenos obstáculos que vão sendo vencidos à medida que o protagonista vai amadurecendo e se transformando. Veja abaixo as 7 dicas para criar conflito:

1. Faça o personagem encarar um medo

Perceba do que o personagem tem mais medo, o que ele jamais seria capaz de fazer, e o coloque frente a frente com isso. Envolva-o em uma situação em que ele se vê obrigado a enfrentar tal medo sob o risco de uma perda muito maior caso não o faça.

2. Ofereça uma escolha impossível

Escolhas por si só costumam movimentar narrativas. Escolhas impossíveis têm o poder de captar a atenção do leitor de forma definitiva, já que ele sabe que uma grande mudança virá a seguir. Coloque o protagonista frente a uma escolha em que ambas as opções trarão consequências terríveis, mas não há saída a não ser optar por uma delas.

3. Teste as crenças dos personagens

Há certos princípios que juramos nunca sermos capazes de quebrar. No entanto, coloque um personagem na situação de ir contra uma de suas crenças, de preferência aquela que ele jurou que manteria para sempre, e veja o que acontece.

criar conflito pessoal

4. Guarde segredos

Desconfiança e incerteza colocam um personagem contra outro, gerando um perfeito conflito pessoal. Principalmente se ninguém, a não ser o autor, sabe de tal segredo – nem mesmo os leitores. Imagine algo que o protagonista precisa saber e quem poderia manter tal informação em sigilo.

LEIA  Como editar um texto (antes de enviá-lo à editora)

5. Dê dias ruins aos personagens

Tem dias em que dá vontade de não ter saído da cama, pois tudo parece dar errado. E com personagens também pode ser assim. Não que pequenos problemas do dia a dia tornem-se um grande conflito, mas para quem já está de mau humor ou com pouca paciência, uma sucessão de desacertos pode levar qualquer um a explodir.

6. Promova desavenças

Às vezes os conflitos aparecem de onde menos se espera. Em vez de situá-los entre o protagonista e o antagonista, faça-os acontecer entre o protagonista e algum amigo. Afinal, personagens secundários com opinião forte e contrária à do protagonista podem render boas surpresas.

7. Envolva o emocional

Quanto mais pessoal, mais difícil de deixarmos pra lá alguma situação. E, quanto mais pessoal o obstáculo, mais o leitor se sentirá envolvido e preocupado com o protagonista. Quanto mais você envolver pessoalmente o personagem no conflito, mais estará envolvendo o leitor na história.

Criar conflito é o que move uma história. Como você costuma desenvolver seus conflitos?

 

Escritora, crítica literária, jornalista e professora universitária. Trabalha com criação de textos e preparação de originais. Desenvolve cursos e palestras na área de Criação Literária e Escrita Criativa.

Ronize Aline

Escritora, crítica literária, jornalista e professora universitária. Trabalha com criação de textos e preparação de originais. Desenvolve cursos e palestras na área de Criação Literária e Escrita Criativa.

Leia também...

10 Comments

  1. Adorei as dicas! Estou começando no mundo maravilhoso da escrita e foi um grande achado o seu blog, estou gostando muito! Parabéns!

    1. Oi, Carina.

      Seja sempre bem-vinda ao blog. E também para deixar seu comentário.

      Abraços,
      Ronize Aline

  2. Raiane says:

    Ronize,
    Adoro suas dicas, me fazem ficar cada vez mais perto de finalizar uma grande história!

    Muito obrigada por me ajudar! Parabéns!!!

    Abraços,
    Raiane

    1. Oi, Raiane,
      fico muito feliz. Sucesso com a sua história.
      Abraços,
      Ronize Aline

  3. ótimo gostei muito 🙂
    Hãããããããããããããããããããããããããããããã????????????

  4. Emy says:

    Olá! Gostaria de agradecer pelas dicas. Era exatamente o que eu buscava. Sempre gostei de escrever, porém minhas histórias não se desenvolviam porque tinha certa dificuldade em criar um conflito, e assim elas acabavam perdendo emoção, mas com suas dicas minha nova história fluiu muito bem.

  5. Tânia Mara Dassi says:

    Estou fazendo um curso de “Como Escrever Uma Boa História” através das suas dicas. São ótimas! Sou muito grata pela sua generosidade. Com seu incentivo, comecei a enviar trabalhos para Concursos Literários. Vão gostar ou não. De qualquer modo, valeu pelo estímulo que você trouxe ao meu trabalho.

  6. Tarsila says:

    Olá, Ronize! Sou uma escritora mirim de 15 anos em busca de uma grande história. Quero agradecer pelas dicas importantíssimas… Muito obrigada! Beijos, Tarsila.

    1. Olá, Tarsila.
      Que legal!
      Não perca nunca essa vontade de escrever.
      E seja sempre bem-vinda por aqui.
      Beijos,
      Ronize Aline

  7. […] caminho e nos motivam a tomar as decisões necessárias. Essas circunstâncias são chamadas de CONFLITOS. O que fazemos ou não fazemos ao enfrentar um conflito é o motor da […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *