super-herói
Criação Literária

5 super-heróis para se inspirar

5 super-heróis para se inspirar.

Criar um super-herói para chamar de seu é o desejo de muitos escritores. Os que fazem parte do nosso imaginário vieram em sua imensa maioria dos quadrinhos e povoaram outros tantos universos narrativos: filmes, séries de TV, livros, games… Mas, ao contrário do que muitos pensam, nem só de poderes vivem os super-heróis. Às vezes são as suas fraquezas que despertam nossa empatia. Depois dos vilões, hoje é a vez de mostrar 5 heróis para inspirar suas próximas criações literárias. Quem sabe esse não era o personagem que faltava na sua história?

1. Mulher Maravilha e a força das amazonas

Sob a identidade secreta de Diana Prince esconde-se aquela que foi uma das primeiras heroínas dos quadrinhos. Também conhecida como Princesa Amazona, sua origem remonta à mitologia grega. A rainha das amazonas, Hipólita, teria esculpido uma estátua de argila, que os deuses trouxeram à vida e deram de presente à própria rainha. Assim nascia a mais poderosa das amazonas.

Além dos poderes de superforça, agilidade, rapidez e resistência, a Mulher Maravilha ainda é capaz de se comunicar com animais e voar a grandes velocidades. Soma-se a isso dois artefatos que contribuem para os seus poderes: braceletes capazes de desviar qualquer ataque e um laço da verdade que força suas vítimas a falar somente a verdade. No entanto, sua armadura possui uma fraqueza que só o seu criador conhece. Há quem diga, também, que se seus braceletes forem unidos ou ela for presa em seu próprio laço, essas duas situações a tornarão fraca.

As mitologias costumam fornecer excelente material para a criação de personagens. No caso da Mulher Maravilha, a heroína nasceu no berço das amazonas e carrega consigo muitas de suas características. Pesquise por mitologias menos conhecidas do que a grega e a romana e veja como os deuses e demais figuras carregam elementos muito similares aos dos super-heróis.

2. Batman e seu conflito psicológico

Um super-herói sem poderes: esse é o Batman. O que lhe falta em superpoderes sobra em motivação. Bruce Wayne, o nome por trás da máscara, testemunhou o assassinato de seus pais durante um assalto e, a partir daí, dedicou-se a combater o crime. Para compensar a ausência de atributos especiais, Wayne dedica-se a aprender diversas artes marciais para, juntamente com sua agilidade, expertise em criminalística e habilidade de detetive, defender  Gotham City com inteligência, habilidade e truques tecnológicos.
Sua condição humana é justamente uma de suas maiores fraquezas, já que ele pode ser ferido em combate. Mas há outros fatores que contribuem para comprometer sua ação. Um deles é consequência do trauma sofrido na infância, que o impede de se envolver emocionalmente com alguém. A desconfiança que nutre por todos somada ao tormento psicológico de, a todo momento, lembrar do incidente com seus pais o afastou inclusive dos demais super-heróis.
Não é preciso ser especial ou ter poderes especiais para se tornar um super-herói. O seu personagem pode ser uma pessoa comum com muita determinação e algum trauma a ser superado – conflitos psicológicos sempre rendem boas tramas. Um herói confuso psicológica e emocionalmente, sujeito a alguns dos mesmos problemas que afetam os simples mortais, costumam ser bem mais complexos interessantes do que aqueles que se supõe inatingíveis.

3.  Thor e a imortalidade dos deuses

Mais um herói baseado na mitologia, dessa vez baseado na cultura nórdica. Doutor Blake seria na verdade Thor, a encarnação do deus do trovão que fora deixado na terra por seu pai, Odin, para junto dos homens aprender a humildade. Ele passa um bom tempo na terra sem se lembrar de nada, até que encontra o martelo e descobre que é o deus nórdico.

Junto com a imortalidade, a imensa força é um dos principais poderes do herói. Além disso, seu corpo resiste ao fogo, ao frio intenso e até mesmo a balas. Dotado de sentidos aguçados, Thor também desenvolveu habilidade em diversos tipos de combates, seja desarmado ou portando espadas, lanças ou o seu martelo. A fraqueza encontrada em Thor é a dor pela qual Odin o faz passar para alcançar a humildade.

LEIA  Como escrever um conto

Aqui, mais uma vez os criadores recorrem à mitologia para buscar inspiração para um super-herói. Há, porém, outro elemento fundamental na construção do personagem: o martelo Mjolnir, que pode invocar chuva e trovão, abrir portais para outras dimensões e sempre volta para seu dono. Criar objetos igualmente poderosos é outra técnica que funciona bem em se tratando de heróis. Esses artefatos prolongam e complementam as habilidades do personagem, além de fornecerem material extra para a elaboração das cenas narrativas. O escudo do Capitão América e o anel do Lanterna Verde são outros exemplos de objetos superpoderosos.

4. Hulk e os experimentos imprevisíveis

Não há quem não pense no gigante verde quando se fala de Hulk, mas o que poucos sabem é que nem sempre ele foi assim: sua cor original era cinza. Apenas por um erro da gráfica é que o herói apareceu esverdeado em algumas partes da primeira revista, acabando por assumir essa versão definitivamente devido ao sucesso que fez junto ao público. Hulk é resultado de um teste com a Bomba Gama. Bruce Banner, o cientista alter ego do grandalhão, foi salvar um jovem que invadiu a área de testes e acabou atingido pelos raios. O resultado nós conhecemos: cada vez que Banner fica irritado, se transforma na criatura com força descomunal e carência de inteligência.
Devido à sua imensa força, talvez a maior entre os super-heróis conhecidos, Hulk é capaz de percorrer quilômetros com um único salto, resistir a explosões nucleares ou sobreviver longos períodos debaixo da água ou no espaço. Para completar, possui um fator de cura que cicatriza seus ferimentos rapidamente. Pode-se arriscar e dizer que a única fraqueza do personagem seria sua própria força. Isso porque quando predomina sua personalidade selvagem, seus poderes se alimentam da ira da criatura e o intelecto de Banner fica reduzido. Apenas quando o cientista consegue equilibrar as duas personalidades, a selvagem e a pacífica, é que há espaço para a razão aparecer.
Inspirado pelo temor dos acidentes nucleares, Hulk é um exemplo de super-herói surgido quando alguma coisa dá errado. Acidentes tecnológicos ou similares com resultados imprevisíveis são uma boa origem para seu super-herói. O Homem Aranha é outro exemplo dos efeitos colaterais provocados por experiências. Imagine algum experimento ou tecnologia que possa fugir ao controle e resultar em humanos com superpoderes relacionados ao acidente em questão.

5. Superman e a vida em outro planeta

E, por último, aquele que foi o primeiro a entrar para o panteão dos super-heróis. Depois do seu sucesso houve uma avalanche de novos personagens destinados a combater o crime. Sobrevivente do planeta Krypton, aquele que seria conhecido como Clark Kent chegou à terra a bordo de um foguete e foi criado por um casal de fazendeiros. Seus poderes aparecem à medida que vai crescendo e, já adulto, assume sua personalidade heroica, que vive camuflada sob a imagem de um pacato repórter.
Ícone da indestrutibilidade, Superman foi aumentado seus poderes com o passar do tempo. No início, era à prova de balas, conseguia erguer um carro, dar grandes saltos e correr mais rápido do que um trem. Mais recentemente, inclusive no novo filme que estreou nos cinemas, é visto quase como um deus na terra, já que tornou-se invencível. E esse talvez seja o herói cujas fraquezas sejam mais conhecidas. Kryptonita, um minério verde criado pela explosão de Krypton, possui radiação que é mortal para o homem de aço. Outro ponto fraco do personagem é sua vulnerabilidade à magia.
Extraterrestres não costumam ser raros na literatura, seja ela em prosa, quadrinhos ou narrativas cinematográficas. E o Superman é talvez um dos mais famosos ETs literários que conhecemos, apesar de sua aparência humana muitas vezes nos fazer esquecer de que ele não é do nosso planeta. Explore outros mundos, ou seja, traga seu personagem de fora. Dê a ele outro lugar de origem, crie um evento que o tenha feito chegar até nosso planeta, dê características comuns a seu povo mas estranhas aos terráquios. Quando se trata de criar personagens extraterrestres, o céu é o limite.
Conte pra gente qual é o seu super-herói predileto e por quê.

Escritora, crítica literária, jornalista e professora universitária. Trabalha com criação de textos e preparação de originais. Desenvolve cursos e palestras na área de Criação Literária e Escrita Criativa.

LEIA  [blog tour] Anete no Papo Literário

Ronize Aline

Escritora, crítica literária, jornalista e professora universitária. Trabalha com criação de textos e preparação de originais. Desenvolve cursos e palestras na área de Criação Literária e Escrita Criativa.

Leia também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *