descoberto na internet
Mercado Editorial

Como ser descoberto na internet

Como ser descoberto na internet.

Ser descoberto pelo mercado editorial é o sonho de dez entre dez escritores inéditos. Até algum tempo atrás, a única maneira de uma editora tomar conhecimento de um livro ainda não publicado era enviando-lhe o original – que na maioria das vezes se perdia na mesa abarrotada de originais do editor. Com o advento da internet, a área de criação literária ganhou um poderosíssimo aliado nessa tarefa. Nesse artigo vamos ver como é possível ser descoberto pelas editores usando os espaços gratuitos dedicados à publicação.

Cinquenta tons digitais

Uma das séries de maior sucesso mundial recentemente teve sua origem justamente no ambiente online. Cinquenta tons de cinza, o livro de E. L. James que abre a trilogia, foi inicialmente publicado em um site de fan fiction, ambiente onde fãs de um determinado livro escrevem contos ou mesmo novas histórias tendo o original como inspiração.
descoberto na internet
Foto: pschubert

A inspiração de James foi a série Crepúsculo, da qual se tornou fã e que a inspirou a escrever a história repleta de cenas sadomasoquistas entre o milionário Christian Grey e a virgem Anastasia Steele. Em entrevista à revista Veja, a autora disse que tudo começou como apenas um passatempo e ela sequer poderia imaginar que a trilogia se transformaria no sucesso que foi.

Depois de arrebatar milhares de fãs que acompanhavam a picante história de amor pela internet, o livro foi inicialmente publicado por uma pequena editora australiana em forma de ebook e impresso sob demanda. A partir daí, foi publicado em grande escala e o resto da história a gente já sabe.

Começando lá fora

Que tal ser publicado primeiro no exterior e, depois, conseguir uma editora no Brasil? Pois foi o que aconteceu com Lilian Carmine. A autora  fez sua estreia na literatura com o romance The Lost Boys, publicado inicialmente em inglês fluente no Wattpad, um site de leituras seriadas, onde você posta gratuitamente sua história e os leitores vão acompanhando-a, comentando e dando seu voto.

LEIA  [blog tour] Bonfa convida Anete, nariz de chiclete

O livro de Carmine teve mais de 32 milhões de visualizações, sendo uma das histórias mais lidas do site. Isso chamou a atenção da Random House, uma grande editora americana que, devido à qualidade do inglês, nem percebeu que a autora era brasileira. Depois de ser publicado lá fora, The Lost Boys sairá esse ano no Brasil pela Leya.

Dos blogs para os as telas de cinema

Enquanto muitos esperam que seus livros sejam publicados e, talvez, sonhem mais alto com uma adaptação para o cinema, o americano James Erwin viveu o inesperado sonho de estar em Hollywood mesmo antes de estar nas livrarias. Seu conhecimento a respeito do Império Romano, sobre o qual havia escrito uma enciclopédia, levou-o a responder uma pergunta no Reddit, misto de rede social e blog colaborativo.

Um usuário queria saber se um batalhão de marines dos Estados Unidos que viajasse no tempo seria capaz de destruir todo o Império Romano. Erwin empolgou-se com a resposta e acabou escrevendo ali mesmo, na plataforma, uma série de pequenas histórias a respeito da viagem no tempo dos marines. Seus relatos atraíram milhares de outros usuários, que avaliaram seu conteúdo favoravelmente.

Por conta do burburinho que causou no Reddit, um dos produtores do filme 300 de Esparta entrou em contato com ele querendo transformar a história em um longa-metragem. Erwin, que assinou contrato com a Warner Bros,  já está no segundo tratamento do roteiro, escrevendo com a colaboração de outro roteirista.

como ser descoberto na internet
Foto: Jasenka Petanjek

Fica a dica para ser descoberto na internet

Para ser encontrado, procure por sites que abrem espaço para a criação literária. Pesquise e escolha aqueles onde a interação com os leitores é maior. Dessa forma, sua história poderá alcançar um grande número de pessoas que, se gostarem, comentarão e indicarão seu livro. E, se tudo der certo, isso irá chamar a atenção de alguma editora.

LEIA  Atlas Ageográfico de Lugares Imaginados

Você pode fazer como E. L. James e buscar por um site de fan fiction, criando ali uma narrativa baseada na sua história preferida, mas com enredo próprio para que possa ser aproveitada – como foi o caso de Cinquenta tons. Ou então publicar diretamente em uma plataforma para publicação como o Wattpad, que já conta com textos em português.

Mas lembre-se que muitas vezes as oportunidades estão nos lugares mais improváveis, como aconteceu com Erwin. Fóruns e redes sociais, apesar de não serem o local mais indicado para quem quer divulgar sua literatura, podem acabar dando um resultado inesperado. O mercado editorial já percebeu que é preciso estar atento ao que acontece nos ambientes virtuais. É tudo questão de fazer a diferença.

Você já teve alguma experiência com publicação online?

 

 

Escritora, crítica literária, jornalista e professora universitária. Trabalha com criação de textos e preparação de originais. Desenvolve cursos e palestras na área de Criação Literária e Escrita Criativa.

Ronize Aline

Escritora, crítica literária, jornalista e professora universitária. Trabalha com criação de textos e preparação de originais. Desenvolve cursos e palestras na área de Criação Literária e Escrita Criativa.

Leia também...

3 Comments

  1. sandro souza rodrigued says:

    Eu tambem sou escritor e meu primeiro livro publicado como ebook pela amazom.com chamado crunner e o livro. Livro dos magos teve os seus primeiros numeros vendidos nos estados unidos

  2. Ótimas dicas!

    Você acha que isso poderia funcionar também para quem deseja publicar livros infantis? Eu tenho planos de publicar obras infantis e já escrevi várias histórias, mas elas foram escritas pensando em livros ilustrados. Ainda assim, acho que poderiam ser adaptadas para funcionarem sem ilustrações.

    Atualmente decidi ir atrás de agente literário, aí recomendaram passar pelas leituras críticas deles. Paguei essa semana e estou ansioso pelos apontamentos. Você acha que esse é o melhor caminho para o nicho que quero?

    Abs.,

    1. Olá, Rafael.

      A literatura infantil tem suas especificidades justamente por conta das ilustrações. E não acho recomendável você abrir mão delas. Se fechar contrato com uma editora, ela irá contratar o ilustrador.

      Sim, agentes literários são um bom caminho para chegar até as editoras e as leituras críticas ajudam muito para que o leitor entenda o que funciona e o que não funciona no seu texto.

      Abraços,
      Ronize Aline

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *